Categorias

Pesquisar na Loja

Burnout no Trabalho e Conjugal em Enfermeiros Portugueses

PDFImpressãoEmail
39.jpg39.jpg

Com envio CTT para 4,00 €
Preço base 19,00 €
Preço de venda com desconto
Preço Venda17,10 €
Desconto 1,90 €
Descrição

ISBN: 972-8485-47-6
Autora: Paulo Joaquim Pina Queirós
Nº de Páginas: 300
Formato: 16 X 23 cm
Editora: Formasau
Ano de edição: 2005

Introdução

A motivação profunda para esta investigação situa-se nas questões relacionadas com a ausência de bem-estar e de felicidade, naquilo que pode ser atribuído às duas circunstâncias vivenciais mais absorventes do homem moderno, em tempo e em energia, o trabalho e a família.
A procura das expressões e dos contextos em que a habilidade para o amor e a capacidade para o trabalho, as marcas de uma plena maturidade, não estão concretizadas, torna-se num desafio não fácil, mas interessante.
São estas preocupações que nos levam à presente investigação com o título \"Burnout no trabalho e conjugal em enfermeiros portugueses\". Não se trata de uma investigação que pretenda conhecer todas as circunstâncias do trabalho e da família, e da relação entre os dois, antes centra-se no aspecto particular da exaustão emocional e física, cinismo e ineficácia no trabalho e da exaustão emocional conjugal.
O burnout é um tema que tem originado múltiplas investigações pelo mundo inteiro. Entre nós (população portuguesa) foram já efectuados alguns estudos, sobretudo com professores, profissionais de saúde de vária formação, bancários.
Nós próprios, tivemos a oportunidade de em processos académicos anteriores, investigar o burnout em enfermeiros, quer comparando três grupos (mestrado em Saúde Ocupacional), quer em outro momento relacionando o burnout, com o consumo de substâncias, com o estilo de vinculação e com o sentido interno de coerência (provas públicas para professor-coordenador).
O interesse por esta temática não surge do nada, antes é fruto de uma vivência profissional de uma década e meia na prestação directa de cuidados de enfermagem, de perto de nove anos de ensino de enfermagem, e foi sendo alimentada na elaboração dos estudos prévios já referidos, mas também, com o despertar de interesse e orientação de professores, verdadeiros mestres. De onde destaco o incentivo, o carinho e o apoio do Professor Doutor D. Florencio Vicente Castro, director do programa de doutoramento \"Desarrollo e Intervención Psicologica\", do Departamento de Psicologia e Sociologia da Educação, Faculdade de Educação da Universidad de Extremadura. Foi nesse âmbito que foi efectuada esta investigação que deu corpo a uma tese de doutoramento e cujo essencial do texto é aqui apresentado sobre a forma de livro.
O presente livro está organizado em quatro partes, correspondendo a quatro passos da síntese de investigação: enquadramento teórico, metodologia, resultados, discussão e conclusões.
No enquadramento teórico, primeira parte intitulada - burnout no trabalho e na relação conjugal - procedemos à revisão da literatura científica sobre os grandes temas desta investigação, surgindo naturalmente um capítulo dedicado ao burnout no trabalho e outro ao burnout conjugal.
Na metodologia, em parte de texto designada por \"burnout em enfermeiros - conceptualização de um estudo\", expomos o caminho percorrido, os desenhos de investigação, os instrumentos e os procedimentos, na tentativa da clarificação e do alcance dos objectivos propostos, de resposta às hipóteses formuladas, em suma tratamos dos materiais e dos métodos.
Numa terceira parte, com o título \"exaustão, cinismo e ineficácia no trabalho e na relação conjugal - resultados encontrados em enfermeiros portugueses\", apresentam-se os dados encontrados no trabalho de campo, procurando organizar a imensa informação que os instrumentos nos facilitaram, expondo-se as primeiras sínteses.
Na última parte, \"burnout no trabalho e na relação conjugal - discussão de resultados e conclusões\", argumentamos os dados encontrados, confron-tando-os com os de outros estudos e asserções teóricas expressos na revisão bibliográfica, e apresentamos as conclusões a que chegámos, nos aspectos relacionados com os instrumentos de avaliação do síndroma, com os níveis de burnout no trabalho e de burnout conjugal nos enfermeiros portugueses, com a relação entre as duas expressões de burnout. Sendo que fruto desta investigação, apresentamos dois modelos explicativo causais: Um modelo de burnout no trabalho e um modelo de síntese entre burnout no trabalho e burnout conjugal. Realçamos as conclusões que nos parecem mais importantes e indicamos, segundo o nosso ponto de vista, as limitações e sugestões para trabalhos futuros.
Esperamos contribuir para o um melhor conhecimento, da dimensão e das circunstâncias, quer no trabalho, quer na conjugalidade, quer ainda na relação dos dois pólos, daquilo que vulgarmente se designa por esgotamento, e que no discurso científico vem sendo definido por burnout.