Categorias

Pesquisar na Loja

Transições e Contextos Multiculturais

PDFImpressãoEmail
transicoes_100.jpgtransicoes_100.jpg

Com envio CTT para 4,00 €
Preço base 13,00 €
Preço de venda com desconto
Preço Venda11,70 €
Desconto 1,30 €
Descrição

Transições e Contextos Multiculturais - Contributos para a Anamnese e Recurso aos Cuidadores Informais

Autor: Wilson de Abreu
Editora: Formasau
Ano de edição: 2011 (2ª edição)

SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO
2. DISCIPLINA DE ENFERMAGEM: DIMENSÕES SOCIOCULTURAIS
3. ENFERMAGEM E TRANSIÇÕES. O EU, O MEIO, O SUPORTE E O COPING
4. CONTRIBUTOS DA ANTROPOLOGIA E DA SOCIOLOGIA DA SAÚDE
5. CONTEXTOS E TRANSIÇÕES: UMA ABORDAGEM BIOECOLÓGICA
6. CUIDADOS CULTURAIS OU DIMENSÕES CULTURAIS DOS CUIDADOS?
7. CUIDAR DE UTENTES EM TRANSIÇÃO: A AVALIAÇÃO INICIAL
8. PROMOVER A PARTICIPAÇÃO DOS CUIDADORES INFORMAIS
9. CONCLUSÃO
10. BIBLIOGRAFIA

 



Há textos que vale a pena ler e analisar. A presente obra, redigida por Wilson Abreu, é um exemplo de um texto que vale pelo seu conteúdo, pela forma objectiva como são explicitados os assuntos e pela posição crítica que emerge ao longo de todo o texto. Num momento em que a sociedade científica de Enfermagem discute quais devem ser os focos da atenção da disciplina, o autor faculta-nos uma oportunidade e um espaço para aprofun­dar temáticas tais como as transições, o prestador de cuidados ou mesmo a diversidade cultural e para analisar as diversas teorias explanatórias sobre estas mesmas temáticas.

A obra é redigida a partir de reflexões sobre diversos casos de transição analisados em estudos anteriores, alguns dos quais no decurso de trabalhos de campo com utentes e famílias com diferentes padrões culturais e religiosos. Tem por objectivo, tal como refere o autor, aprofundar conhecimentos e métodos em matéria de avaliação inicial dos utentes, explorando realidades que possam sus­citar uma avaliação inicial mais consistente e também um espaço de interacção com os cuidadores informais.

Wilson Correia de Abreu convida-nos a enveredar por um enfoque que sin­tetiza, na sua perspectiva, o fundamental da atenção dos enfermeiros. As inter­venções em enfermagem são analisadas através da problemática das transições. Colocando-se no quadro analítico proposto por Meleis, considera que assistir utentes em processos de transição constitui o papel mais relevante da disciplina de enfermagem; a enfermagem teria como propósito facilitar os processos de transição, no sentido de se alcançar um estado de bem-estar. Recorrendo às palavras do próprio autor, a transição é uma passagem ou movimento de um estado, condição ou lugar para outro. Ao corroborar os estudos de Schlossberg, Bronfenbrenner e Meleis, sublinha-se que todos os processos de transição estão relacionados com mudança e desenvolvimento.

Definir domínios do conhecimento implica identificar especificidades e afir­mar “territórios” do saber constituído. Wilson Abreu explora uma das dificulda­des com que, a meu ver, se confrontam as diversas perspectivas que tentam derimir argumentos em torno de uma Enfermagem Avançada – a especializa­ção, o aprofundamento de competências e a expansão do saber. Analisa os conceitos centrais da disciplina de enfermagem – Utente, Transição, Interac­ção, Processo, Meio, Assistência e Saúde. A originalidade da abordagem que apresenta reside no entanto no prisma que elege para o seu olhar – o olhar antropológico, o qual está presente na estratégia de operatividade que está intrínseca ao roteiro para a anamnese. Este conciliar de uma perspectiva sem­pre ideológica (presente nas abordagens antropológicas) com uma perspectiva pragmática de quem tem necessidade de lidar no terreno com diferenças cul­turais, tornam aliciante e mesmo importante a leitura desta obra, designada­mente para todos quantos tenham necessidade de compreender e dissecar as transições humanas.

Não há diagnóstico de enfermagem sem anamnese. Wilson Abreu sublinha (e bem) que “no processo de anamnese, o enfermeiro e o utente relembram todos os factos que se relacionam não só com a doença, mas também com o conjunto das respostas humanas e estilos de vida que permitam compreender o estado de saúde”.

Torna-se para mim mais clara, após a leitura atenta desta obra, a necessida­de da escola contribuir de forma mais consistente para o ensino da “prestação de cuidados de enfermagem culturalmente consistentes e competentes”.

Esta obra, redigida por Wilson Abreu, será um instrumento de trabalho e uma referência essencial para a formação dos estudantes de enfermagem e dos enfermeiros.

Paulo Joaquim Pina Queirós
In Prefácio