New item
DAE
dgert
ordem

Organizações

PDFImpressãoEmail
Aborda aspectos estruturais da vida das organizações em geral, e da saúde em particular.
Destina-se em geral, a todos os profissionais que operem no sistema de saúde, e em particular, ao grupo profissional dos Enfermeiros em processos de formação
49.jpg49.jpg
Com envio CTT para 3,50 €
Preço base 24,00 €
Preço de venda com desconto
Preço Venda24,00 €
Desconto
Descrição

ISBN: 972-8485-46-8
Autora: Pedro Parreira
Nº de Páginas: 336
Formato: 15 X 21 cm
Editora: Formasau
Ano de edição: 2005

PREFÁCIO

A formação inicial e contínua dos profissionais de saúde, em particular dos enfermeiros, carece de uma atenção especial dadas as características peculiares das organizações em que exercem a sua actividade.
Durante décadas a formação dos profissionais de saúde situou-se num plano eminentemente técnico, inspirado pelo modelo bio-médico que se justapunha à gestão burocrática ou administrada. A situação decorrente da justaposição entre os modelos bio-médico e burocrático nas organizações de saúde (não só públicas mas também nas privadas), gerou um espiral de crescimento anómalo e de diferenciação profissional e funcional extremas. Os grupos profissionais ganham dinâmicas autónomas e a desconexão dos serviços de saúde é considerada crescente.
A saúde, apontada por investigadores e políticos para as dificuldades derivadas da necessidade de integração ou de interconexão num sistema mais vasto de funções, grupos profissionais, serviços e organizações, consistiria numa aproximação, substituição, da gestão burocrática pela gestão empresarial. Na sequência dessa gestão empresarializada os princípios da gestão da Qualidade Total e do elevado envolvimento dos profissionais no trabalho e na organização estão progressivamente a ganhar espaço na formação inicial e contínua dos profissionais. É neste contexto que deverá ser entendido o esforço do Pedro Parreira que é exemplar a vários títulos pela forma como sistematizou teorias e pesquisas empíricas que cobrem todo o espaço do comportamento, da mudança organizacional da psicosociologia das organizações, da gestão dos recursos humanos e da organização do trabalho profissional.
A grande abrangência revela-se frequentemente perigosa pela tendência para a justaposição das matérias e pela dificuldade em gerar no leitor uma visão sistémica da realidade.
O autor consegue, porém, esse equilíbrio entre a fórmula clássica do manual escolar e a problematização constante, aliada à sua sensibilidade didáctica e pedagógica que retira da sua experiência de investigador e de docente.
Gerações de profissionais foram formados sem conhecer a realidade organizacional em que iriam exercer a sua actividade. O trabalho do Pedro Parreira ajudará, estou certo, a evitar que o mesmo erro se não repita no futuro.

 

Professor Doutor Albino Lopes
(Presidente do Conselho Científico do ISCTE em 2005)