RIE 21 NOVEMBRO 2017

 

DOWNLOAD INTEGRAL DA REVISTA

EFETIVIDADE DO MINDFULNESS NA PESSOA COM PERTURBAÇÃO DE ANSIEDADE
Effectiveness of Mindfulness: in people with anxiety disorder
Efectividad del Mindfulness en la persona con trastorno de ansiedad
Ana Isabel Duarte; Carla Susana Monteiro ; Linda Samanta Fernandes; Rosa Cristina Lopes

A METODOLOGIA DE REVISÃO INTEGRATIVA DA LITERATURA EM ENFERMAGEM
The methodology of integrative review of literature in nursing
La metodología de revisión integradora de la literatura en enfermería
Luís Manuel Mota de Sousa; Cristina Maria Alves Marques-Vieira; Sandy Silva Pedro Severino; Ana Vanessa Antunes

SUGESTÕES DOS ENFERMEIROS DE UMA EQUIPA DE SUPORTE EM CUIDADOS PALIATIVOS PARA A MELHORIA DA UTILIZAÇÃO DA TÉCNICA DE CONFERÊNCIA FAMILIAR
Nurses’ suggestions from a palliative care support team to improve the use of the family conference technique
Sugerencias de los enfermeros de un equipo de apoyo en cuidados paliativos para la mejora de la utilización de la técnica de conferencia familiar
Bruno Miguel Gomes Pereira Feiteira; Maria Manuela Cerqueira

ENGAGEMENT EM COLABORADORES DE UMA LINHA DE MONTAGEM DE AUTORRÁDIOS
Engagement in contributors of an autorradio mounting line
Engagement en empleados de una linea de montaje de autorrádios
Carla Diana Ferreira Antunes; Eduarda do Sameiro Castro Vilaça; Fernanda Sameiro Afonso Barreto; Isabel Maria Batista de Araújo

 

EDITORIAL

Prevenção dos Comportamentos suicidários: um tema prioritário para pesquisa na enfermagem
Os comportamentos suicidários tem um impacto expressivo em todo o mundo. Estima-se que a cada 40 segundos ocorra um óbito por suicídio. Este problema está entre as 10 maiores causas de morte na população mundial, é a segunda maior causa de morte entre pessoas de 15 a 29 anos e, anualmente, provoca mais óbitos do que todos os conflitos mundiais somados. Esses resultados contrastam com a informação de que a maioria dos óbitos por suicídio é considerada evitável (World Health Organization (WHO) 2014) e indicam que ainda há muito a ser feito no que se refere à prevenção do suicídio.
Considerando que os comportamentos suicidários são associados a múltiplos fatores de risco e proteção (Franklin et al. 2017; World Health Organization (WHO) 2014), há diferentes possibilidades de intervenções preventivas que precisam ser conhecidas, implementadas, investigadas e aprimoradas pela enfermagem, que pode exercer um papel decisivo na prevenção do suicídio (Emergency Nurses Association 2012; Registered Nurses' Association of Ontario 2009).
A prevenção do suicídio requer abordagens efetivas, humanizadas, criativas, inovadoras, abrangentes, acessíveis, sustentáveis e culturalmente adaptadas. Todavia, ainda há uma carência de evidências suficientemente sólidas provenientes de estudos de intervenção que possam orientar práticas e  políticas relacionadas à prevenção e que sejam realmente capazes de contribuir com a redução do comportamento suicida (Robinson and Pirkis 2014; Silverman et al. 2014).
Destaca-se ainda a importância de investimento em pesquisas com rigor metodológico que abordem temas emergentes, lacunas e estratégias de intervenção com características promissoras, como por exemplo ações de elevado impacto social e intervenções multiníveis que articulem diferentes recursos e dispositivos sociais e atuem sobre fatores de risco ou proteção relevantes e modificáveis.
A prevenção dos comportamentos suicidários deve incluir a prevenção da mortalidade e de diferentes experiências de "morte" no âmbito simbólico, social ou existencial, além de promover a qualidade de vida em todos os sentidos possíveis. Tais aspectos parecem ser essencialmente ligados ao ato de cuidar, em sua concepção mais abrangente e portanto, o enfermeiro pode ser um agente diferenciado na prevenção dos comportamentos suicidários por meio da pesquisa, ensino, gestão, bem como por sua atuação política e cidadã.

Profª Doutora Kelly Graziani Giacchero Verdana
Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (Brasil). Pós-Doutoranda da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra (ESEnfC). Responsável pelo Centro de Educação em Prevenção e Posvenção do Suicídio (CEPS). Vice-presidente do Capítulo Rho Upsilon da Sigma Theta Tau Internacional - Sociedade Honorífica de Enfermagem.


Referências
Emergency Nurses Association. 2012. Clinical Practice Guideline: Suicide Risk Assessment. Full Version.
Franklin, Joseph C. et al. 2017. "Risk Factors for Suicidal Thoughts and Behaviors: A Meta-Analysis of 50 Years of Research." Psychological Bulletin 143(2):187–232. Retrieved (http://doi.apa.org/getdoi.cfm?doi=10.1037/bul0000084).
Registered Nurses' Association of Ontario. 2009. "Assessment and Care of Adults at Risk for Suicidal Ideation and Behaviour." (January):1–122.
Robinson, Jo and Jane Pirkis. 2014. "Research Priorities in Suicide Prevention: An Examination of Australian-Based Research 2007–11." Australian Health Review 38(1):18. Retrieved November 21, 2017 (http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24262112).
Silverman, Morton M., Jane E. Pirkis, Jane L. Pearson, and Joel T. Sherrill. 2014. Reflections on Expert Recommendations for U.S. Research Priorities in Suicide Prevention.
World Health Organization (WHO). 2014. "Preventing Suicide: A Global Imperative." 92.