RIE 28 AGOSTO 2019

 

DOWNLOAD DA REVISTA

ESCALA DAS DIFICULDADES DOS PAIS NO CUIDADO À CRIANÇA NO PRIMEIRO ANO DE VIDA
Scale of parents' difficulties in caring for the child in the first year of life
Escala de las dificultades de los padres en cuidado al niño en el primer año de vida
Elisabete Rodrigues Fernandes

FORTALECIMENTO MUSCULAR NA PESSOA COM INTOLERÂNCIA À ATIVIDADE SECUNDÁRIA À DPOC - ESTUDO DE CASO
Fortalecimiento muscular en la persona intolerante a la epoc actividad secundaria - estudio de caso
Muscle strengthening in the person intolerant to copd secondary activity - case study
Catarina Alexandra Varão Simão; Carla Sofia Conceição Pinto; Marlene Linhares; Helena Castelão Figueira Carlos Pestana; Luís Manuel Mota Sousa

SATISFAÇÃO PROFISSIONAL DOS ENFERMEIROS ESPECIALISTAS: CUIDAR DE QUEM CUIDA
Professional Satisfaction of Specialist Nurses: Take Care of who Cares
Satisfacción Profesional de los Enfermeros Especialistas: Cuidar de Quien Cuida
Sérgio Dias; Carminda Morais

SATISFAÇÃO PROFISSIONAL DOS ENFERMEIROS NOS CUIDADOS DE SAÚDE PRIMÁRIOS
Nurses' Professional Satisfaction in Primary Health Care
Satisfacción Profesional de los enfermeros en la atención primaria de salud
Susana Moreira; Carlos Nunes; Luisa Martins; Jorge Vale-Lima; Susana Cunha; Domingos Malta

EDITORIAL

O mundo pós Alan Turing

Considerado o pai da computação moderna através da introdução do conceito de algoritmo e estabelecimento dos alicerces da informática, Alan Turing estava longe de imaginar, em 1936, as consequências do seu trabalho na sociedade do século XXI.
É estrutural a forma como a tecnologia de informação e comunicação se impôs na nossa vida quotidiana, mediando e restruturando as relações interpessoais.
Trouxe igualmente às profissões da área da saúde, mais concretamente à enfermagem, um conjunto de mais valias no que respeita ao acesso à informação clínica dos beneficiários dos cuidados cujo objectivo se pretende que seja esse, facilitar a disponibilidade dos dados que permitam aos enfermeiros assegurar a sua continuidade, operacionalizando uma lógica de processo em que a tomada de decisão se efectiva como sistémica e sistemática.
A forma como a tecnologia reconfigurou o processo de enfermagem é extraordinariamente valiosa. Além dos aspectos já referidos, possibilitou aferir-se indicadores decorrentes da tomada de decisão dos enfermeiros e desenvolver investigação neste domínio. No entanto, este hipe desviou-nos da essência dos cuidados de enfermagem, que segundo Watson (1979) apud Hesbeen (2000) “é a acção interpessoal da enfermeira e do paciente com vista a produzir neste um resultado terapêutico”. De acordo com a autora, o “acessório dos cuidados de enfermagem é o conjunto das técnicas, do conhecimento formal, dos protocolos, das terminologias, das formas de organização, dos contextos dos cuidados.”
O facto de ser acessório não retira importância ao que serve de suporte à actividade de enfermagem. Assim, o foco dos cuidados e o maior investimento tem de ser colocado na relação entre duas pessoas, uma prestadora e outra beneficiária de cuidados, e no resultado terapêutico que se pretende atingir. Este será tão efectivo quanto maior for a apropriação conceptual do enfermeiro daquilo que Watson designa por acessório.
Numa sociedade que cada vez mais valoriza o imediato e o volátil, inerente à instantaneidade, importa reflectir sobre o papel privilegiado dos enfermeiros na vida das pessoas beneficiárias dos cuidados e que, segundo Hesbeen (2000), se assumem como um vector de serenidade ao incorporar na sua relação quatro características fundamentais como o conforto, a doçura, o calor e a atenção aos pormenores. Porque numa situação de fragilidade, estas características são as principais modeladoras das intervenções de enfermagem e, apesar de difícil mensuração, exigem grande profissionalismo adquirido pelo desenvolvimento de competências, rigor e experiência, que dotam os enfermeiros da capacidade de ir ao encontro do outro e dar sentido a esse encontro e, depois, fazer esse caminho com ele.


Rui Manuel Jarró Margato


Hesbeen, Walter (2000). Cuidar no hospital; enquadrar os cuidados de enfermagem numa perspectiva de cuidar. Loures: Lusociência
Watson, Jean (1979) – Nursing: the philosophy and science of caring. Boston: Lottle Brown.