New item
DAE
dgert
ordem

Datas: 24 de Fevereiro de 2022

Duração: 8h (7 horas de aula + 1de apresentação e conclusão do curso)
Horário: Sexta-feira, das 09:00 às 13:00h e das 14:00h às 18:00

Objetivos
a. Objetivos gerais
Adquirir competências que lhe permitam realizar corretamente manobras de SBV com utilização de um Desfibrilhador Automático Externo (DAE), numa vítima em paragem cardiorrespiratória.
b. Objetivos específicos
▪ Avaliar os riscos para o reanimador;
▪ Saber executar corretamente as manobras de SBV;
▪ Conhecer o conceito de DAE;
▪ Identificar as regras de segurança inerentes à utilização de DAE;
▪ Descrever os passos e a sequência de intervenções com o DAE;
▪ Saber executar corretamente o algoritmo de SBV com utilização de DAE.

Enquadramento temático
A doença cardiovascular assume uma liderança destacada no mundo ocidental na morbilidade e mortalidade das populações. A morte súbita é muitas vezes a primeira manifestação dessa doença. A fibrilhação ventricular é o mecanismo mais frequente da paragem cardio-respiratória (PCR) de origem cardíaca e o seu único tratamento eficaz é a desfibrilhação eléctrica. A probabilidade de sobrevivência é tanto maior quanto menor o tempo decorrido entre a fibrilhação e a desfibrilhação. Sendo que a rápida desfibrilhação enquanto objetivo é difícil de atingir se efetuada apenas por médicos, já que a PCR ocorre na maioria das vezes em ambiente pré-hospitalar, recomenda-se que profissionais não médicos sejam treinados e autorizados a utilizar desfibrilhadores desde que a sua atuação seja enquadrada em Programas de DAE com controlo e auditoria médica qualificada. Só assim se conseguirá a conjugação de esforços que tornam a desfibrilhação um meio para atingir um objetivo último de melhoria da sobrevida após PCR de origem cardíaca. Nesse sentido, e com intenção de promover a utilização de Desfibrilhadores Automáticos Externos (DAE) em locais públicos ou em veículos de emergência, organizou-se esta ação que visa formar operacionais de Desfibrilhação Automática Externa. Este curso está organizado de forma a incluir palestras teóricas, bancas práticas para aquisição de competências específicas e simulação de casos clínicos.

Conteúdos programáticos
• Sessão Prática I: Suporte básico de vida:
• Demonstração de PLS | Posição lateral de Segurança | Demonstração algoritmo DVA | Desobstrução da VA
• Sessão Teórica II – Desfibrilhação Automática Externa/Situações especiais com DAE.
• Workshop: Comandos do DAE e Colocação de Elétrodos | Demonstração algoritmo de SBV com DAE
• Sessão Prática II: Casos clínicos SBV DAE (Sucesso imediato)
• Sessão Prática III: Casos clínicos SBV DAE (Choque não recomendado)
• Sessão Prática IV: Casos clínicos SBV DAE (Insucesso)
• Sessão Prática V: Casos clínicos SBV DAE (Sucesso tardio)

Destinatários
Enfermeiros, Profissionais de saúde e leigos.

Número de formandos
A formação realiza-se com o número mínimo de 6 formandos e máximo de 24 formandos

Modalidade de formação
O curso decorrerá em formato presencial, a decorrer na sala de formação Sinais Vitais, sita no Parque Empresarial de Eiras, lote 19, 3020-265 Coimbra.

Forma de organização da formação
Formação Presencial - 7 horas (teóricas e teórico/práticas) + 1h de tempo de trabalho do formando.

Metodologias de formação
No que diz respeito aos métodos de trabalho o curso está estruturado da seguinte forma:
1- Ensino teórico (T) e teórico-prático (TP):
Este curso está organizado de forma a incluir palestras teóricas, bancas práticas para aquisição de competências específicas e simulação de casos clínicos.
2- Tempo de trabalho do formando (TF):
Aplicação dos conceitos adquiridos. Pesquisa e recolha de informação. Desenvolvimento do raciocínio lógico e do espírito crítico na análise e resolução de problemas reais.
Salientar aqui que as sessões a decorrer em formato presencial serão as sessões práticas.

Metodologias de avaliação
A avaliação das aprendizagens individuais será efetuada através da realização de testes de avaliação sumativa e avaliação prática.

Regras de assiduidade
A assiduidade dos formandos é verificada através da assinatura das folhas de presença em cada sessão. Para efeitos de aproveitamento e emissão do certificado, a participação do formando na ação deve ser igual a 100% da duração total da formação.

Método seleção de candidatos
Os candidatos serão admitidos por ordem de chegada das fichas de inscrição disponível em ficha de candidatura.

Recursos pedagógicos e didáticos
Recursos didácticos/meios/equipamentos:
▪ Salas adequadas para formação teórica e prática;
▪ Meios audiovisuais de suporte, adequados à realização da ação;
▪ Dossier pedagógico da ação;
▪ Material de simulação e treino por cada formador/grupo de formandos:
▪ Máscara de bolso com válvula unidirecional, por formando (ou similar);
▪ Manequim de treino de SBV adulto;
▪ Desfibrilhador automático externo de treino;
▪ Conjunto de elétrodos de treino;
▪ Kit com lâmina de barbear e compressas;

Equipa pedagógica
a. Gestor: Célia Pratas
b. Coordenador Pedagógico: Carlos Margato
c. Formadores: Grupo Reanimasau

Recursos físicos
Para as aulas teóricas e práticas, presenciais, a Formasau tem no seu espólio todo o material necessário à prossecução da sua missão: Meios Audiovisuais (computadores e projetores multimédia) e todos os instrumentos para os exercícios práticos (simuladores), assim como todo o material considerado fundamental para proteção individual.

Inscrição:
Condições de Candidatura:
-Preenchimento de ficha de candidatura, disponível em ficha de candidatura.
Critérios de selecção por ordem de prioridade:
- Ordem de chegada da inscrição à Formasau
Pagamentos:
Propinas: 85€

Observações:
Formação acreditada pela Ordem dos Enfermeiros, para efeitos de Qualificação Profissional, com a atribuição de 1.1 Créditos de Desenvolvimento Profissional (CDP).